A atracção do México é reconhecida em todo o mundo. Seja esta pela sua biodiversidade impressionante, pela sua variedade de ecossistemas ou pelos seus encantos.

No entanto, há que reconhecer que também é devido às características da cultura mexicana. Esta tem muitas facetas e até mesmo tem expressões consideradas Património Imaterial da Humanidade.

Por quê pessoas nascidas fora do México, escolhem vir viver neste país multifacetado? Isto é: de onde vêm, onde vivem, de qual país são os estrangeiros no México? Para ficar a saber mais do assunto, procurei os dados do Instituto Nacional de Migração do México (INAMI) e censo do Instituto Nacional de Estatística e Geografia (INEGI).

Há pouco menos de um milhão de estrangeiros que vivem no México e um fenómeno de crescimento migratório de pessoas de países orientais.

De acordo com a População e Habitação Censo 2010 do INEGI, no México existem 961.121 pessoas nascidas noutro país. Isto é equivalente a 0,86% do total da população (uma figura que inclui apenas as pessoas com residência legal).

A estes dados devem ser adicionado o fato de que na última década o fenómeno de estrangeiros no México tem-se intensificado. Um fato notável é que os imigrantes chineses triplicaram. Enquanto o número de imigrantes coreanos cresceu 12 vezes no mesmo período.

No caso dos imigrantes europeus, os espanhóis são o grupo maior a viver no México. Seguido pelos franceses, os alemães e os italianos. Em geral, as pessoas europeus que vivem nas grandes cidades preferem México as grandes cidades, entre estas: Cidade do México, Guadalajara, Monterrey, Tampico, Puebla, Chiapas e Veracruz.

Pelo menos um terço do aproximado milhão de imigrantes estrangeiros no México residem na fronteira norte, nos estados de Baja Califórnia, Chihuahua, Sonora, Coahuila, Nuevo León e Tamaulipas. Mas também se destacam os estados centrais: Queretaro, Hidalgo e Jalisco no oeste do México.